domingo, 28 de fevereiro de 2016

E é bastante, para o poeta, ser a má consciência do seu tempo.

Et c'est assez, pour le poète, d'être la mauvaise conscience de son temps.

And it's enough, for the poet, to be the bad conscience of his time.

Saint-John Perse

terça-feira, 15 de dezembro de 2009

I can do anything...

Pois é... há o que muda, e o que prevalece; que me parece sempre maior do que qualquer mudança.

Cá nesta Babilónia, donde mana
matéria a quanto mal o mundo cria;
cá onde o puro Amor não tem valia,
que a Mãe, que manda mais, tudo profana;

cá, onde o mal se afina, e o bem se dana,
e pode mais que a honra a tirania;
cá, onde a errada e cega Monarquia
cuida que um nome vão a desengana;

cá, neste labirinto, onde a nobreza
com esforço e saber pedindo vão
às portas da cobiça e da vileza;

cá neste escuro caos de confusão,
cumprindo o curso estou da natureza.
Vê se me esquecerei de ti, Sião!


(Luis Vaz de Camões
)

...mas como dizia o Jim Morrison: I am the lizard king / I can do anything...